" /> " /> " />
Segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2020
Taurodromo.com A tauromaquia mais perto de si.

"Ultima versão do Faz de conta"

"Ultima versão do Faz de conta" de João Cortesão.

31 de Agosto de 2010 - 11:32h Notícia por: - Fonte: João Cortesão - Visto: 730

"Ex.ma Srª Dª. Carolina Abreu Costa

Li com atenção o seu artigo de opinião no site Tauromania e não resisti a escrever-lhe.

Gostei da escrita do tipo "ladainhas" ou "orações das vésperas" embora pense que no estilo, teriam ficado mais completos os parágrafos com um "Amen" no fim, ou então com um "Nós estamos convosco" para os fieis repetirem reverencialmente.

Respeito as suas opiniões evidentemente – concorde ou não com elas -, e não me daria ao trabalho de me dirigir a si – não há nestas palavras "Faz de Conta" - se não tivesse notado uma certa imprecisão no que toca ás apreciações á prisão do sr. Miguel Alvarenga e sobretudo ás mensagens de solidariedade (espontâneas e não encomendadas) das pessoas de todo, mas mesmo todo o mundo do toiro, tão diferentes das pouquíssimas mensagens que tem recebido a A,N.G.F., oriundas só e exclusivamente do circulo fechado a que pertence a dita associação.

Os ganaderos, críticos, matadores de toiros, cavaleiros, emboladores, forcados (alguns bem próximos da ANGF) e simples aficcionados, manifestaram a sua solidariedade, não por não concordarem com a pena (até o Alvarenga concorda!!!), mas sim pela injustiça de se encontrarem em liberdade, assassinos, passadores de droga, burlões de milhões e milhões de euros, bandidos, etc. etc. etc... enquanto um jornalista por crime de liberdade de imprensa e por negligentemente ter faltado ao julgamento, é privado da sua liberdade.

Uma grande parte da imprensa escrita não taurina, os vários canais de televisão e a rádio, entenderam o que acabo de dizer, enquanto v. exª não entendeu, ou "FAZ DE CONTA" que não entendeu o que sinceramente não acredito. Não entendeu mesmo... e pronto...

Quanto á sua ignorância no que respeita á justiça e ás coisas do direito, será semelhante á minha, embora saiba como cidadã, que ninguém pode usar como argumento o desconhecimento da lei, porém, toda a gente sabe o que é uma providencia cautelar e os seus efeitos. È elementar srª dª Carolina...

Quanto ao seu conhecimento invulgar do mundo do toiro, tendencioso do mundo da forcadagem, e do Alvarenga em particular, leva-me a ficar feliz por haver uma senhora tão documentada sobre o assunto. Atrevo-me mesmo a dizer que parece um representante da direcção da ANGF a emitir tão convictas opiniões em defesa da Associação e contra o sr. Miguel Alvarenga.

Acabei mesmo agora de ler: "O Rei vai nu"

Por decoro e respeito não direi que v. exª vai nua, mas titularei assim os meus considerandos á sua última intervenção:

"A Rainha vai de mini-saia e decote generoso"

A Rainha vestiu em bom da "Chanell" o equipamento feminino da ANGF; o que não tem mal rigorosamente nenhum, mas essa vestimenta além de reduzida é de fibra transparente.

É evidente que uso no título a forma de metáfora tal como Hans Cristian Andersen e v. exª.

Quanto ao texto quero Chamar-lhe a atenção dos seguintes pontos:

1 – Não vi indignação de ninguém senão do M. Alvarenga (Com certeza por ser o mais visado), a propósito do seu artigo. Convenhamos... a srª não tem assim tanta importância como julga ter, ou julga o contrário?

2- Quanto á burrice dos seguidores, leitores e amigos do sr. Alvarenga, deixo-a sem resposta. Não vou por esse caminho.

Tem a certeza que todos os que concordam consigo são iluminados? Se calhar... tem.

3 – Quanto ao séquito do sr. Alvarenga, onde julgo que me inclui, gostaria de lhe dizer o que acaso não saberá. Várias vezes escrevi no "Farpas" artigos discordando e criticando o sr. Alvarenga, que ele publicou sem alterar uma virgula, e não conheço quem tenha escrito para o jornal mostrando a sua discordância ou indignação, sem ver publicadas as suas opiniões. O mesmo não sucede com outros publicações e alguns sites.

4 – Quanto aos insultos a que se refere por parte do Sr. Alvarenga respondo-lhe: "Quem não se sente etc. etc. etc."

Já a propósito da declaração do IRS e do cadastro e demais considerandos, são na minha maneira de ver, usados completamente a despropósito. Pergunto : Porque não o fez a senhora na sua apresentação?

Não ponho em causa a sua honestidade, nem o seu passado certamente sem mácula, mas já que poucos a conhecem, ficaria pelo menos salvaguardada da imaginação de alguns que, até julgaram que v. Exª é um homem.

5 – A srº diz que não fez nada a favor da "Festa", não concordo. A srª entrou corajosamente na discussão de um tema quente com o que isso tem de positivo. "Da discussão nasce a luz" todavia em muito do que disse não estou de acordo com o conteúdo e sobretudo com a forma, permita-me, avinagrada, e no caso do sr. Alvarenga roça métodos inquisitórios, dos tempos em que tudo servia para condenar, mesmo aquilo que nada tinha ver com a substancia da falta ou pseudo-falta...

6 – Lamento que não se tenha referido, por esquecimento com certeza, uma única vez aos dois problemas que despoletaram esta Guerra; a saber:

A – O boicote aos grupos que a associação não quer incluir no seu seio.

B – Boicote a uma Corrida importantissima do calendário taurino no Centro e Norte do país, por questões meramente pessoais. Digo eu...

Depois não se admire que haja novas Vianas do Castelo e novas Catalunhas. O polvo está aí e o povo aficcionado não entende estas guerras, como o povo de Cuba e da Arruda, por exemplo, não entende que o grupo da sua terra não possa pegar diante das suas gentes.

7 – Quem acha v. Exª que quer mandar na "Festa", Aqueles que querem que todos os forcados sejam iguais ou aqueles que pensam serem os forcados todos iguais, mas uns mais iguais que outros, aproveitando a ideia do romance alegórico o "triunfo dos Porcos" do escritor inglês George Orwell.

8 – Palavras Suas:
"Por isso mudemos e apoiemos quem faz e quem tenta fazer algo para melhorar a Festa.
Não pactuemos mais com o diz-que-disse, exijamos provas! Construamos, em vez de destruir! Façamos!"
Quanto a estas frases, estou completamente de acordo, o seu sentido das mesmas ou o meu é que pode ser diferente.

9 – Quanto ao ódio de estimação contra o sr Alvarenga não posso ajudá-la, porque também eu tenho ódios de estimação e não os consigo resolver, mas pelo que conheço dele, direi que as suas palavras, provocações ou mesmo insultos, rechaçam na couraça da indiferença do meu amigo Miguel.

Penso mesmo que o sr. Alvarenga até acha graça.

10 – Se em qualquer extracto do seu texto me pretendeu atingir, agradeço-lhe como agradeço todas criticas que me são feitas.

11 – Gostaria de lhe dizer que tenho por todos os elementos da ANGF a máxima consideração pessoal e julgo-os bem intencionados, mas nestes dois pontos base da polémica estou em total desacordo.

V.exª tem talento e sabe escrever, pode é estar confundida. Como muito mais velho nestas coisas, permita-me que lhe recomende, cuidado com as fontes de informação e influencias.

Nada mais há que bondade neste meu concelho, quer acredite ou não.

Da minha parte receba os meus cumprimentos, e seja bem-vinda a estas lides da escrita.

Acabo com a pretensão de que tome como um elogio estas palavras: V. exª apresenta um estilo de escrita com resquícios do estilo do sr. Alvarenga, por isso acredito sinceramente que vai longe...

João Cortesão

Nota: Resolvi escolher um estilo palaciano para este meu escrito, contrapondo-o voluntariamente á sua agressividade excessiva, mas também sei exprimir-me no seu registo ou mesmo noutros."

Desenvolvido por PrimerDev Lda
Copyright ©2007-2020 Taurodromo.com, Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo, sem a expressa autorização.